Casa do Trabalhador de Aquidauana disponibiliza mais de 100 vagas nesta quinta-feira

Categoria: Geral | Publicado: quinta-feira, novembro 7, 2019 as 09:28 | Voltar

Campo Grande(MS) – A Casa do Trabalhador de Aquidauana abre esta quinta-feira(07.11)com  102 vagas disponíveis.

Noventa vagas são para trabalhador da cultura de maçã e duas para monitor agrícola para preenchimento imediato. Essas vagas são de uma empresa gaúcha que contrata temporariamente trabalhadores indígenas para atuarem no raleio das macieiras e oferecem registro em Carteira, alojamento e condução. Os trabalhadores da cultura de maçã receberão salário de R$ 1.237,70 e monitor agrícola, R$ 1.595,88.

Nesta sexta-feira(07.11), já está prevista uma saída de dois ônibus dos contratados com destino ao RS. Os interessados devem se cadastrar na Casa do Trabalhador de Aquidauana, Rua Estevão Alves Correa, 1895 – Bairro Alto, de segunda a sexta, das 7 às 13h00.

O raleio é uma das práticas mais antigas na cultura da macieira sem a qual não seria possível produzir frutos de qualidade. Quando muitos frutos se desenvolvem na planta simultaneamente, geralmente não adquirem adequado tamanho e qualidade no momento da colheita. Dessa forma, o raleio é necessário para ajustar o número de frutos na planta, de forma que os frutos restantes apresentem tamanho adequado à aceitação comercial.

A ocupação das vagas de trabalho nas lavouras das empresas da região Sul do país é resultado de uma parceria entre o Ministério Público do Trabalho, Comissão Permanente de Investigação e Fiscalização das Condições de Trabalho, Coletivo dos Trabalhadores Indígenas e a Funtrab.

As regras para a contratação da mão de obra indígena do MS pelas empresas foram definidas em audiência realizada no 25 de setembro deste ano na sede da Fundação do Trabalho de MS, em Campo Grande, sob a coordenação do procurador do Trabalho Jeferson Pereira. Participaram da reunião o diretor-presidente da Funtrab Enelvo Felini, o coordenador da Comissão Permanente de Investigação e Fiscalização das Condições de Trabalho no Mato Grosso do Sul, Maucir Pauletti, e José Carlos Pacheco, presidente do Coletivo dos Trabalhadores Indígenas do Estado de MS, além de gerentes das Casas dos Trabalhador de Caarapó, Dourados, Miranda, Aquidauana e Sidrolândia e representantes das empresas contratantes.

 

Cláudia Yuri(Fundação do Trabalho de MS)

 

Publicado por: Claudia Yuri

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.